A SÉRIO QUE NÃO SEI…

Quanto mais leio, mais me apercebo que não possuo dimensão cultural e literária suficiente para escrever um livro e muito menos, por respeito, dá-lo a ler aos outros.
Pode ser uma fase, mas para já, apetece-me parar com o meu “projeto de livro”. Não quero ter vergonha do que lá está escrito e do que falta lá escrever.
E a pergunta, tantas vezes repetida, sai mais uma vez escorreita: 
Como é que se publicam tantos “livros” em Portugal?
Duas respostas se aprontam logo.
Ou há bastantes “escritores” ou a vergonha está bastante mal distribuida. 
Remédios…
Parar de ler?
– Não!
Perder a vergonha?
– Não!
A sério que não sei…
destaques

Recent Posts

Lorvão e Alcobaça no Registo da Memória do Mundo

Passados três anos após a inscrição no Registo da Memória do Mundo dos manuscritos “Apocalipse do Lorvão” e “Comentário ao…

1 dia ago

Viver no interior não é uma fatalidade

Como o Fundão pode ser inspirador para Penacova Penacova tem um atraso estrutural que muito dificilmente conseguirá recuperar. Continuamos a…

2 dias ago

TRAGÉDIA – VERÃO 2017

 Texto escrito em 17 de Outubro de 2017 Cinco vidas ceifadas, 4 Bombeiros que necessitaram de deslocação aos HUC, 29…

7 dias ago

Devolver o imposto ou investir?

PS e PSD trocaram acusações sobre devolução do IRS A câmara de Penacova não vai devolver IRS aos munícipes em…

2 semanas ago

Casa onde nasceu António José de Almeida vai dar lugar a Museu da República

A Câmara Municipal de Penacova assinou hoje um Protocolo de Colaboração com o Centro de Estudos Disciplinares Século XX (CEIS…

2 semanas ago

Lixeira a céu aberto na descida do Botão

Lixo acumula-se na descida do Botão (IP3) Os portugueses estão a produzir mais lixo e as campanhas de sensibilização e…

3 semanas ago