“Teresa de Portugal” um grande presente de Natal

A autora com a filha Matilde
Este é um livro dirigido, sobretudo, às crianças, para ser lido nas salas de aula, “e para que os mais pequenos comecem a conhecer melhor as grandes figuras da nossa história”, sublinha Paula Silva, a autora de “Teresa de Portugal.”
De facto, D. Teresa “foi, sem dúvida, depois de ter sido rainha de Leão, pelo seu casamento com D. Afonso IX, a mulher mais poderosa do seu tempo em Portugal”, escreve Nelson Correia Borges, num texto introdutório.
“Tenho uma admiração especial por ela porque vejo, no seu trajeto, algumas semelhanças com a minha experiência de vida, desde a ligação estreita aos avós, ao facto de, em determinado período, ter sido obrigada a afastar-se da família”, confessa a autora.
Paula Silva, licenciada em História, é a responsável pela Biblioteca Municipal de Penacova. Esta é a sua quarta investida no mundo das letras. Em 2000 escreveu “Os Palitos na Freguesia de Lorvão”, um livro que retrata o riquíssimo património desta arte tão penacovense, em 2004 foi autora de uma publicação que evocou o centenário da cerâmica da Estrela d’Alva, outro dos grandes ícones do município e em 2007 foi responsável por um livro sobre os forais de Monforte.
“A ideia para escrever o livro surgiu por altura da planificação do trabalho dos 300 anos da trasladação das santas rainhas e foi um desafio da senhora vereadora da cultura, Fernanda Veiga”, afirma Paula Silva que contou com a colaboração de Cristina Carvalho nas ilustrações – “é alguém que domina esta técnica e julgo que resultou muito bem. Temos uma máquina de costura na biblioteca e a Cristina, sempre que é necessário, sabe como fazer.”
Este livro “Teresa de Portugal”, dedicado a Santa Teresa de Lorvão, “rainha, mulher, mãe e monja de grandes virtudes”, como escreve o historiador Nelson Correia Borges, faz parte de um projeto mais abrangente que tem por objetivo resgatar a história das grandes figuras, factos e património do município – ” o projeto “Memórias de Penacova” está sempre em evolução. Quem sabe se a próxima figura não será António José de Almeida?”, concluiu Paula Silva.
destaques

Recent Posts

Crédito Agrícola vê oportunidade e vai para o Terreiro

Crédito Agrícola vai ocupar local nobre de Penacova Nos anos mais recentes, BPI, BIC e agora o BCP encerraram balcões…

1 semana ago

Penacova na pintura de Eugénio Moreira

"Ferreirinha " retrato a óleo 73 x 93 Museu Nacional Soares dos Reis De acordo com Abel Salazar, Eugénio Moreira…

2 semanas ago

“TECER A PREVENÇÃO – Plano Local de Promoção e Proteção dos Direitos das Crianças e Jovens do Concelho de Penacova”.

Confesso que o nome, só por si, me fascinou.Esta dimensão tão abrangente das palavras, a conceção de um trabalho diligente,…

2 semanas ago

Reconstrução de casa na Ribeira bastante atrasada

Obra tem andado a um ritmo muito lento Na tragédia de 15 de outubro, do ano passado, o fogo destruiu…

3 semanas ago

Lorvão e Alcobaça no Registo da Memória do Mundo

Passados três anos após a inscrição no Registo da Memória do Mundo dos manuscritos “Apocalipse do Lorvão” e “Comentário ao…

4 semanas ago

Viver no interior não é uma fatalidade

Como o Fundão pode ser inspirador para Penacova Penacova tem um atraso estrutural que muito dificilmente conseguirá recuperar. Continuamos a…

4 semanas ago