A versão corrente dos acontecimentos sobre a implantação da República em Penacova passa, geralmente, pelo relato feito pelo Jornal de Penacova de 8 de Outubro de 1910 e pouco mais. Poder-se-á invocar o Auto de Aclamação onde constam algumas dezenas de assinaturas de muitos penacovenses. Um pouco tidos quase como lendários, poderão ainda ser referidos alguns episódios inusitados como aquele em que Amândio Cabral subiu por uma escada ao telhado dos Paços do Concelho para bem alto içar a bandeira verde-rubra. 
Além do relato oficial que podemos encontrar, quer nas actas das sessões dos órgãos municipais, quer noutros documentos dispersos, dispomos ainda de alguns periódicos locais, onde se destaca o Jornal de Penacova, que – apesar do seu carácter partidário, nalgumas fases da sua existência – nos fornece um vasto conjunto de informações que nos permite compreender melhor as dinâmicas duma época que tem como marca fundamental a mudança de regime político. 
Em Penacova, o republicanismo não nasceu no dia 5 de Outubro, ou melhor, no dia 6, quando nesta vila foi conhecida a notícia. Também aqui, o ideário republicano vinha germinando há alguns anos, por acção de homens formados na academia coimbrã, médicos e juristas, de braço dado com emigrantes chegados do Brasil. 
Ainda na vigência da Monarquia (1908) constitui-se a primeira Comissão Municipal Republicana e no dia 1 de Agosto de 1909 tem lugar o célebre comício de S. Pedro de Alva. Com a implantação da República as adesões aumentam, quer pela acção militante dos núcleos de Penacova e de S. Pedro de Alva, quer pela influência discreta de António José de Almeida, que tinha no concelho um grupo de amigos e simpatizantes e uma tribuna privilegiada de propaganda e de mobilização: o Jornal de Penacova. 
(…)
A 12 de Outubro, pelas 16 horas, toma posse uma primeira Comissão Administrativa Republicana, na sequência do Decreto com força de Lei, de 8 de Outubro, dimanado do Ministro do Interior. Comissão que tinha a seguinte composição: Efectivos: António de Seiça Ferrer de Saldanha Moncada, José Alves de Oliveira Coimbra, José Maria Marques, João António de Almeida, Manuel Correia da Silva, José Pedro Henriques e José Augusto Ribeiro. Substitutos: Bacharel Alípio Barbosa de Oliveira Coimbra, Eduardo Pedro da Silva, Francisco da Costa Gonçalves, Joaquim de Almeida Coimbra, Leonel Lopes Serra, Luís Pereira de Paiva e Pita e Urbano Ferreira da Natividade. 
Preside à reunião José Pedro Henriques, por ser o mais velho dos presentes e ser habitual este procedimento. Uma vez realizado o escrutínio, Amândio Cabral é eleito presidente, ficando António Moncada na vice-presidência.
(…)
As “mexidas” também se verificaram ao nível das freguesias. Nomeadas pelo Governador Civil, sob proposta do Administrador Amândio Cabral, tomaram posse, nos primeiros dias de Janeiro, as respectivas Comissões Administrativas. Registemos apenas os nomes dos presidentes das mesmas: 
Freguesia de Carvalho: António Simões; Figueira: António Gomes de Carvalho; Friúmes: António dos Santos Carril Júnior; Lorvão: Clemente Luís Ralha; Oliveira: Maximino César Augusto Henriques; Paradela: António Oliveira Neves; Penacova: António Casimiro Pessoa Júnior; S. Paio: José Marques da Fonseca; S.Pedro de Alva: Joaquim de Almeida Santos; Sazes: José Manuel de Andrade; e Travanca: Jerónimo Jacinto Henriques. 
Do livro Penacova e a República na Imprensa Local, editado pelo Município de Penacova em 2011, tendo como autor David Almeida e prefácio do historiador Luís Reis Torgal.
Sobre esta obra pode consultar:


destaques

Recent Posts

Ex-presidentes de junta querem reversão das freguesias

Em 2013 São Paio foi agregada à freguesia de São Pedro de Alva O governo quer voltar a reorganizar o…

1 semana ago

Penacova e a Senhora do Mont’Alto

Gravura publicada no século passado  na imprensa local O nascimento de Nossa Senhora ou a Natividade de Maria é uma…

2 semanas ago

MEMO 18 – Confraria da Lampreia criada há quinze anos

Os percursores da Confraria da Lampreia de Penacova Em agosto de 2003 nasceu, por escritura pública, a Confraria da Lampreia…

3 semanas ago

INCÊNDIOS FLORESTAIS

Ao dar uma olhadela nos meus arquivos da semana passada encontrei esta capa de jornal. Cada um interpreta como quiser.…

3 semanas ago

História da Casa do Povo de S. Pedro de Alva é o tema de novo livro de Alfredo Fonseca

No dia 15 de Julho teve lugar a apresentação de mais um livro de Alfredo Santos Fonseca. É o oitavo…

4 semanas ago

História da Casa do Povo de S. Pedro de Alva é o tema de novo livro de Alfredo Fonseca

No dia 15 de Julho teve lugar a apresentação de mais um livro de Alfredo Santos Fonseca. É o oitavo…

4 semanas ago