Peru dá prémio à Padaria do Largo

Armando, João Fernando, Marília e Paula
Todos os anos a ACIP – Associação de Comércio e Indústria de Panificação, Pastelaria e Similares organiza o concurso “O Melhor Bolo-Rei de Portugal”. Este ano, o segundo prémio, na categoria Inovação, coube à Padaria do Largo, de Penacova.
Afinal, em que é que os mestres padeiros do largo da D. Amélia inovaram? Reinventaram a receita do Bolo-Rainha juntando-lhe… peru! Sim, o peru garantiu-lhes a distinção entre largas dezenas de concorrentes, de todo o país.
“É um bolo de sabor ligeiramente salgado que leva como principais ingredientes, os cogumelos, o bacon, sultanas, nozes, amêndoas e…peru!”, esclarece João Fernando Seco Costa que, logo a seguir, explica como apareceu o peru neste bolo-rainha – “como em alguns países, o peru tem um presença muito marcante nesta época natalícia, lembrei-me de experimentar! Em jeito de brincadeira, cá em casa, chamaram-me maluco…mas resultou!”
E tanto resultou que o júri do concurso não hesitou em atribuir-lhe o segundo prémio do concurso, na categoria Inovação. Aliás, é a segunda vez que a Padaria do Largo recebe um galardão da ACIP. Em 2016, o folar doce, feito no largo da D. Amélia recebeu a medalha de bronze.
Depois desta conquista, o trabalho ainda não terminou. A equipa de João Fernando procura dar um novo formato ao bolo, até para o distinguir dos clássicos Bolo-Rei e Bolo-Rainha. Com a experiência de Armando Silva, padeiro na casa há quarenta e quatro anos, e o aconselhamento de Paula e Marília Seco Costa, esposa e filha, respetivamente, testam-se novas formas de apresentar o bolo – “talvez o formato retangular, com o meio mais saliente, mais alto, a fazer lembrar o peito do peru, não seja totalmente descabido. Vamos ver o que vai sair daqui!”, acrescenta João Fernando.
A Padaria do Largo está situada no largo D. Amélia, naquele edifício, desde o início da década de sessenta, do século XX, mas a sua história é bem mais antiga. Nomes como Abílio Seco, bisavô de João Fernando e Francisco Teodoro Seco, fizeram crescer um negócio que, apesar da sua longevidade, continua a inovar! 
destaques

Recent Posts

Luís Amante escreve sobre a poesia do tempo

É o terceiro livro de poesia do autor Ao terceiro livro, o autor reconhece que houve uma evolução nos poemas…

1 dia ago

Quando na Raiva se juntavam trinta e seis barcas serranas e duzentos carros de bois …

Desenho de Joana Santana Em 1954, no jornal “Notícias de Penacova”, o Padre Manuel Marques (que assinava Manuel do Freixo)…

3 dias ago

O Porto da Raiva na segunda metade do século XIX

PORTO DA RAIVA FOTO: SITE DO MUNICÌPIO DE PENACOVA São frequentes as referências ao Porto da Raiva, geralmente associadas ao…

1 semana ago

Vila Nova tem novo alojamento local

Miguel, Margarida e Luís, os donos da Charrua do Mondego Uma família de empreendedores da Riba de Baixo arregaçou as…

2 semanas ago

Apontamentos para a história da Pérgola no centenário da sua construção

No início do século XX, a Sociedade de Propaganda de Portugal inscreveu Penacova no conjunto das 17 localidades portuguesas dignas…

1 mês ago

Movimento mantém luta pelos cuidados continuados

Movimento acredita que o Revive não é solução Um dos rostos do movimento de cidadãos "Mais Saúde para o Hospital…

1 mês ago