Livro dedicado a Martins da Costa voa para Itália

“Contos Vividos” foi lançado em 2016
Aos trinta e um anos de idade, João Martins da Costa tomou contacto mais de perto com a arte italiana, ao tornar-se bolseiro no Instituto para a Alta Cultura de Itália. Nessa época despertava a curiosidade pela pintura a fresco. Viajou e pintou em Peruggia, Pádua, Arezzo, Nápoles, Roma e Florença, entre outras cidades. Conheceu monumentos, artistas, estudantes bolseiros como ele e grandes mestres como Ferruccio Ferrazzi.
“Os telhados de Florença! Devia tê-los pintado da janela do meu atelier, como fiz em Roma, da janela do meu quarto. Se pudesse recuar no tempo e voltar a março de 1953, certamente que o faria”. As palavras foram escritas pela mão do artista, na crónica “A minha casa em Florença”, incluída no livro “Contos Vividos”. Ainda nesse ano, parte à descoberta da bela cidade de Veneza, “paragem obrigatória para ver os seus museus e aquilo que fez, dessa terra roubada ao mar, uma das sete maravilhas do mundo. Uma cidade de palácios e sonhos, assente sobre estacas de madeira.” 
A produção artística resultante destas viagens deu lugar à exposição “Apontamentos de Itália”. O jornal “Diário Popular”, de janeiro de 1954, escreve, a propósito que “em todos os quadros que trouxe de Itália, existem fragmentos de grande delicadeza (…), cheios de harmonia, com luzes de fulgores astrais (…)”. Acrescenta ainda o jornal, “uma boa exposição de um dos artistas mais expressivos da nova geração.”
Curiosamente, mais de meio século depois, a obra da Martins da Costa, sintetizada no livro “Contos Vividos”, e com várias crónicas dedicadas a Itália, volta a cruzar-se com este país. A editora Casalini Libri, com sede na província de Florença, terra visitada pelo pintor, adquiriu alguns exemplares para divulgação. Esta editora tem relações com mais de três mil bibliotecas e cerca de cinco mil editores, espalhados por quarenta países. A Casalini nasceu em 1958 e é, segundo informação disponibilizada no site, uma das maiores fornecedoras de publicações no sul da europa.
Em 2017, o livro “Contos Vividos” venceu quatro prémios, pela excelência da sua qualidade gráfica.
destaques

Recent Posts

O MOMENTO DOS PROFESSORES

Em termos laborais, nada há de mais justo do que contar o tempo de serviço efetivamente prestado, seja qual for…

5 dias ago

Antero mestre relojoeiro há cinquenta anos

Antero Alves tem 74 anos Encontro o mestre relojoeiro na conhecida rua Conselheiro Barjona de Freitas, no coração de Penacova.…

6 dias ago

O FUTURO DO IP3

Hoje assisti ao anúncio público, das obras de requalificação do IP3. Porque sou testemunha de muitas tragédias, quero acreditar que…

2 semanas ago

Um cais para a Barca Serrana

O cais da Barca Serrana em 2012 / FOTO: Carlos Alvarinhas Miguel Esta semana almocei no simpático restaurante "O Cantinho"…

3 semanas ago

Utentes pedem melhores transportes públicos

Comissão de utentes quer melhores transportes A população da Aveleira, Roxo, São Mamede e Paradela de Lorvão, servida pela empresa…

4 semanas ago

REUNIÃO DE CÂMARA DE 15 DE JUNHO 2018

Foi com um sentimento redobrado de satisfação que ontem assistimos, na Reunião de Câmara, à apresentação do trabalho “Meu Querido…

1 mês ago