Livro dedicado a Martins da Costa voa para Itália

“Contos Vividos” foi lançado em 2016
Aos trinta e um anos de idade, João Martins da Costa tomou contacto mais de perto com a arte italiana, ao tornar-se bolseiro no Instituto para a Alta Cultura de Itália. Nessa época despertava a curiosidade pela pintura a fresco. Viajou e pintou em Peruggia, Pádua, Arezzo, Nápoles, Roma e Florença, entre outras cidades. Conheceu monumentos, artistas, estudantes bolseiros como ele e grandes mestres como Ferruccio Ferrazzi.
“Os telhados de Florença! Devia tê-los pintado da janela do meu atelier, como fiz em Roma, da janela do meu quarto. Se pudesse recuar no tempo e voltar a março de 1953, certamente que o faria”. As palavras foram escritas pela mão do artista, na crónica “A minha casa em Florença”, incluída no livro “Contos Vividos”. Ainda nesse ano, parte à descoberta da bela cidade de Veneza, “paragem obrigatória para ver os seus museus e aquilo que fez, dessa terra roubada ao mar, uma das sete maravilhas do mundo. Uma cidade de palácios e sonhos, assente sobre estacas de madeira.” 
A produção artística resultante destas viagens deu lugar à exposição “Apontamentos de Itália”. O jornal “Diário Popular”, de janeiro de 1954, escreve, a propósito que “em todos os quadros que trouxe de Itália, existem fragmentos de grande delicadeza (…), cheios de harmonia, com luzes de fulgores astrais (…)”. Acrescenta ainda o jornal, “uma boa exposição de um dos artistas mais expressivos da nova geração.”
Curiosamente, mais de meio século depois, a obra da Martins da Costa, sintetizada no livro “Contos Vividos”, e com várias crónicas dedicadas a Itália, volta a cruzar-se com este país. A editora Casalini Libri, com sede na província de Florença, terra visitada pelo pintor, adquiriu alguns exemplares para divulgação. Esta editora tem relações com mais de três mil bibliotecas e cerca de cinco mil editores, espalhados por quarenta países. A Casalini nasceu em 1958 e é, segundo informação disponibilizada no site, uma das maiores fornecedoras de publicações no sul da europa.
Em 2017, o livro “Contos Vividos” venceu quatro prémios, pela excelência da sua qualidade gráfica.
destaques

Recent Posts

Pista da Atalhada continua sem homologação

Pista da Atalhada foi inaugurada em 2014 Foi inaugurada pelo município em setembro de 2014 para servir de palco, sobretudo,…

3 dias ago

MEMORABILIA 19 – “Ó camarada cá vai uma pulha!”

O aparelho que amplificava o som das pulhas O lançar das pulhas era uma tradição antiga, do tempo dos nossos…

2 semanas ago

A Lenda dos Três Rios

Muitas das compilações existentes sobre lendas portuguesas a referem, atribuindo-a à tradição oral da zona de Pombeiro da Beira, mas…

2 semanas ago

DA FICÇÃO À REALIDADE

  Este é o complexo diagrama das estruturas coordenadas pela Agif, a nova a Entidade criada pelo governo para coordenar…

2 semanas ago

Portugal Green Travel instala-se em Penacova

Hugo Teixeira Francisco tem raízes em Penacova Um novo operador turístico especializado em produtos ligados ao turismo/natureza, destinos/aventura e produtos…

3 semanas ago

Memórias da Beira Serra: gravuras do boletim “A Acção Regional” 1931-1934

De 1931 a 1934 publicou-se em Lisboa um boletim trimestral que tinha como título “A Acção Regional”. Dirigido por José…

1 mês ago