SINAIS DOS TEMPOS…OU A DEGRADAÇÃO DO ESTADO

O
País assiste, talvez já sem surpresa, à prisão do diretor da Policia Judiciaria
Militar e outros responsáveis, alegadamente, por existirem “guerras” entre
polícias.
O
caso poderia até parecer uma brincadeira de ciúmes, de ambições pessoais ou
corporativas se o conteúdo não fosse tão sério e relevante. Acontece, que se
trata de um assunto de estado, do roubo de armas de um paiol militar, ainda tão
mais grave quando sabemos que andou envolto em sucessivos mistérios,
contradições e incertezas e em sucessivas declarações, mais ou menos
desastradas, gerando uma natural sensação de desconfiança e insegurança nos
cidadãos.
É
certo, que nos tempos que correm, andamos todos um pouco baralhados: Polícias
com responsabilidades de apagar incêndios, Bombeiros que regulam o trânsito
enquanto esperam pela chegada da polícia. Há uns tempos, era impensável ver
carros de combate a incêndios capotados com a sigla da “GNR”, ou lamentar os
ferimentos graves e o internamento de militares desta prestigiada força, devido
ao combate a incêndios florestais.
Hoje
temos fotografias censuradas, que levam à demissão de responsáveis, e não era
hábito termos o Presidente da República, o mais Alto magistrado da Nação, dias
a fio, a dar entrevistas em calções de banho.
Atualmente temos o maior
investimento (diz-se) de sempre na área da saúde, mas também um número de
demissões, sem precedentes, de responsáveis hospitalares e um agravamento continuado
dos cuidados prestados.
Temos
um primeiro-ministro que dá a sua palavra honrada, que a repete cinco vezes, para
uns dias depois a reduzir a menos de nada.
Sim,
tudo isto parece um sinal dos tempos, a que, mal ou bem, nos vamos habituando,
mas o incidente de Tancos não é bem a mesma coisa. Quando se trata da
Instituição Militar, atingida ao seu mais alto nível, exatamente a Policia
Judiciária Militar, então não serão apenas sinais dos tempos, mas antes
fenómenos complicados de degradação das Instituições, que podem ferir a
dignidade e a credibilidade do próprio Estado de Direito.
Apesar de tudo, e dos seus constrangimentos, vamos acreditando no sistema judicial, esperando que não seja beliscado pelo recente e rocambolesco episódio da nomeação da PGR.
 
 
 
 
 

 

Fotos com crédito de imagem

destaques

Recent Posts

Pista da Atalhada continua sem homologação

Pista da Atalhada foi inaugurada em 2014 Foi inaugurada pelo município em setembro de 2014 para servir de palco, sobretudo,…

3 dias ago

MEMORABILIA 19 – “Ó camarada cá vai uma pulha!”

O aparelho que amplificava o som das pulhas O lançar das pulhas era uma tradição antiga, do tempo dos nossos…

2 semanas ago

A Lenda dos Três Rios

Muitas das compilações existentes sobre lendas portuguesas a referem, atribuindo-a à tradição oral da zona de Pombeiro da Beira, mas…

2 semanas ago

DA FICÇÃO À REALIDADE

  Este é o complexo diagrama das estruturas coordenadas pela Agif, a nova a Entidade criada pelo governo para coordenar…

2 semanas ago

Portugal Green Travel instala-se em Penacova

Hugo Teixeira Francisco tem raízes em Penacova Um novo operador turístico especializado em produtos ligados ao turismo/natureza, destinos/aventura e produtos…

3 semanas ago

Memórias da Beira Serra: gravuras do boletim “A Acção Regional” 1931-1934

De 1931 a 1934 publicou-se em Lisboa um boletim trimestral que tinha como título “A Acção Regional”. Dirigido por José…

1 mês ago